sociedade

Vacina para Todos

Hoje esse é o caminho a seguir, e o caminho que poderá, a médio prazo, fazer com que voltemos a vida normal

Começamos, no final de 2020, ainda que lentamente, a receber a aplicação da vacina contra o coronavírus. A vacina, aliada ao distanciamento social e ao uso de máscaras e de álcool gel, são hoje as melhores estratégias para vencer está dura batalha do risco às nossas vidas. Hoje esse é o caminho a seguir, e o caminho que poderá, a médio prazo, fazer com que voltemos a vida normal. Encontramos percalços, encontramos inúmeros desafios, mas juntos estamos transpondo essas barreiras e vencendo essa guerra.

O governo brasileiro, através do programa nacional de imunização, é o responsável por comprar, fazer com que a vacina chegue a todos nós e, por fim, que sejamos todos vacinados. O atual governo cometeu graves erros na primeira etapa desse processo, como relegar a compra da vacina para segundo plano. Por conta dessa situação, muitos brasileiros que poderiam ter sido salvos, perderam a vida. O governo, a duras penas, corrigiu erros, e agora a vacinação está acontecendo em todo o país.

Convivemos com a rotina de vacinação desde que nascemos, logo ao nascer já tomamos vacinas valiosas porque nos protegem de doenças graves. Nossos pais nunca se preocuparam com a procedência ou eficácia dessas vacinas. Sabemos que elas nos protegem e não questionamos isso. Com a vacina para o coronavírus, e em razão do comportamento do atual governo, passamos a discutir tópicos que, a meu ver, foram irrelevantes e contribuíam para atrasar a vacinação. Importa mesmo que a vacina nos proteja, passe por análises técnicas, não importando de onde vem.

Alguns brasileiros ainda estão questionando se a vacina é segura e se realmente devemos nos vacinar. O presidente do Brasil, que até o momento ainda nega a realidade é a gravidade da situação, reforçou esse pensamento ignorante. Ele chegou a falar que, quem se vacinasse, correria o risco de virar jacaré ( se foi brincadeira, foi de muito mau gosto ) e que os brasileiros não teriam interesse em se vacinar. A realidade mostrou o contrário, ninguém virou jacaré, e a procura pela vacina é enorme. A expectativa é que a vacina chegue, segundo a ANVISA, a 90% dos brasileiros.

É importante que a vacinação acelere cada vez mais, vacinar mais rápido salvará vidas, salvará a economia e voltaremos, enfim, para o nosso cotidiano - para tanto, a produção e entrega de vacinas deve ser cada vez maior. Os políticos brasileiros e a população precisam apoiar e exigir do governo que ele faça acordos de compra com mais empresas e que elas façam as entregas de forma mais rápida.

O Brasil tinha tudo para ser um exemplo ao mundo, nesta que é a maior crise sanitária dos últimos 100 anos. Temos um dos maiores sistemas de saúde público do mundo, um programa de imunização nacional que é exemplo para muitos países e, por fim, temos dois grandes centros de produção de vacinas que têm plenas condições para criar, desenvolver o produzir vacinas diversas. O que deu errado então? Por que tivemos uma quantidade absurda de mortos?

A figura do presidente da república, desde o princípio da crise, com suas posições de negar a realidade, minimizar o perigo do vírus, ridicularizar a ciência e fazer chacota até com os brasileiros mortos, certamente contribuiu muito. Tal procedimento atrapalhou muito e aprofundou o agravamento da situação, levando o país até o triste momento em que atingimos o número de 378 mil mortos.

Apesar dos momentos sombrios, das opiniões equivocadas, das campanhas contrárias à ciência e dos inúmeros erros cometidos na gestão da Pandemia, a vacina está chegando aos brasileiros. Agora devemos, como povo, exigir condições para dar mais agilidade em todo o processo e, assim, para que estejamos todos depressa vacinados e protegidos.

Temos uma responsabilidade pessoal grande também, protegendo-nos e ajudando a proteger uns aos outros. Vacinar é o caminho natural, e é o caminho que estamos percorrendo. Esperamos logo estarmos vacinados e vivenciando dias menos dolorosos e apreensivos. Solidariedade a todos que tiveram perdas de pessoas amadas! Essa é a dor maior


fale conosco

redação
[email protected]
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)
Endereço
Faixa Nova de Camobi, 4.975, Bairro Camobi, CEP 97105-030, Santa Maria - RS

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3213-7272
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3213-7272
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)
[email protected]
[email protected]
chat

para anunciar
(55) 3213-7187
(55) 3213-7190