contatos Assine
Intercâmbio

Estudante de Agudo conta sobre a experiência de ser um embaixador nos Estados Unidos

09 Fevereiro 2018 11:00:00

Ricardo Schieck, 17 anos, viagem a convite da Embaixada dos EUA no Brasil

Marcos Fonseca

Foto: Arquivo Pessoal/  Ricardo caminha num dos corredores da Casa Branca, a icônica sede do governo norte-americano

O ano de 2018 começou com uma virada na vida do estudante Ricardo Schieck, 17 anos. Morador de Agudo, ele deixou a cidade da Quarta Colônia para viver uma aventura no outro extremo da América. O jovem foi um dos 50 escolhidos numa seleção com milhares de brasileiros para representar o país numa viagem aos Estados Unidos. Foi uma experiência que "abriu horizontes" e mostrou as muitas oportunidades que o mercado profissional oferece mundo afora.  

Aluno do 3º ano do Ensino Médio da Escola Estadual Professor Willy Roos, Ricardo participou entre janeiro e fevereiro de um intercâmbio de três semanas em Washington, a capital dos EUA, e em Pensacola, pequena cidade de 51 mil habitantes no Estado da Flórida. A viagem foi proporcionada pelo programa Jovens Embaixadores 2018, da Embaixada dos Estados Unidos. Trata-se de uma ação que promove a incursão de alunos de 17 e 18 anos, de escolas públicas, a órgãos do governo, ONGs, instituições de ensino e projetos sociais daquele país.

São Sepé inaugura nova unidade do Senar

Depois de um curso intensivo em Brasília, no começo do mês passado, no dia 13 ele decolou para os Estados Unidos, na sua primeira viagem de avião. Como convidado da Embaixada, sentiu-se uma celebridade. Ele e os demais 49 brasileiros do programa tinham as portas abertas nos lugares onde iam.

- Foi uma honra, porque tivemos acesso a vários lugares que nem todo mundo consegue ir - conta.

Um desses locais foi a Casa Branca, em Washington. Por lá, percorreu os corredores da famosa sede do governo, onde trabalha o presidente Donald Trump. Prédio que, até então, ele só conhecia pelo cinema.

- Foi inimaginável! - exclama.

A organização das cidades chamou sua atenção.

- Não havia lixo nas ruas, as calçadas são mantidas pelos próprios moradores, e não havia calçadas ruins - observa.

- As pessoas são muito simples, não ostentavam - acrescenta Ricardo, lembrando que um carro de luxo, como o Mustang, custa quatro vezes menos lá do que no Brasil.

Foto: Arquivo Pessoal/  No Museu da Aviação em Pensacola

EXPERIÊNCIAS

Os jovens embaixadores passaram por diversos locais turísticos, além de escolas, e tinham tarefas diárias a fazer. Todo o diálogo dos anfitriões com a turma era em inglês.  

- Foram as três semanas mais intensas da minha vida - admite Ricardo, que acordava às 6h todos os dias para o roteiro de visitas.

Museu Gaúcho da Força Expedicionária reabre no dia 15 de março

Das experiências que trouxe da terra do Tio Sam, o estudante de Agudo conta que passou a ter outra visão de mundo.

- Mudou a perspectiva de mundo e de ideias que eu tinha. Quando se sai da sua zona de conforto, do seu mundinho, se vê que não é bem assim. Existem milhares de coisas a se fazer por um mundo melhor - diz Ricardo, que retornou ao Brasil no último fim de semana.

Algumas dessas ideias é o desejo de conhecer coisas novas. Ricardo retornou para sua casa em Agudo com a intenção de estudar bastante, inclusive no Exterior. Aqui, planeja fazer três cursos superiores: Ciência da Informação, Administração e Economia. Ele tentará, também, ingressar em alguma universidade do Canadá, Estados Unidos ou Japão, três países que admira e deseja morar. 

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249