contatos Assine
imunização

Vacinação da febre amarela será centralizada em sete unidades de saúde

26 Janeiro 2018 17:49:00

Medida foi tomada porque um frasco da vacina rende 10 doses e, após aberto, precisa ser utilizado em até seis horas


Foto: Lucas Amorelli (Diário)
Para fazer melhor uso dos frascos da vacina, prefeitura optou por reduzir para sete unidades de saúde o atendimento de vacinação da febre amarela

A Prefeitura de Santa Maria definiu que irá centralizar a aplicação da vacina da febre amarela em sete Unidades de Saúde do Município. A medida já está valendo e foi determinada em função de que um frasco da vacina garante até dez doses, que necessitam ser aplicadas em um período de até seis horas. Assim, a administração municipal evita desperdício do material.

VÃO APLICAR A VACINA AS UNIDADES:

  • José Erasmo Crossetti - De segunda a sexta-feira, das 7h30min às 11h30min e das 13h às 15h
  • Floriano Rocha - De terça a sexta-feira, das 7h ao meio-dia
  • Itararé - De segunda a sexta-feira, das 7h30min às 11h
  • Kennedy - De segunda a quinta-feira, das 8h ao meio dia e das 13h30min às 16h. Sextas-feiras das 8h ao meio-dia
  • Oneyde de Carvalho - De segunda a sexta-feira, das 8h 
  • Wilson Paulo Noal - A partir de segunda-feira, horário pode ser conferido pelo telefone (55) 3286-2457, ou diretamente na unidade de saúde (Rua Monte Carlo, s/n, Bairro Camobi)
  • Ruben Noal - De segunda a sexta-feira, das 8h ao meio dia e das 13h30min às 16h30min

De acordo com a enfermeira Ana Motta, responsável pelo setor de imunizações da prefeitura, as demais Unidades de Saúde, que ainda têm doses da vacina, seguirão realizando as aplicações até que o estoque chegue ao fim. Confira os horários das demais unidades de saúde aqui. Segundo a enfermeira, o município recebe, mensalmente, um quantitativo que varia entre duas a três mil doses da vacina. 

Ana Motta destaca que, antigamente, a vacina contra a febre amarela exigia um reforço a cada 10 anos. No entanto, essa medida não é mais válida, sendo que, desde o ano passado, a vacina passou a ser aplicada em apenas uma dose, que protege permanentemente. 

Conselho de Saúde e MPF pedem solução para superlotação do Hospital Universitário

A enfermeira lembra ainda que, em 2009, houve uma vacinação em massa na cidade, em função da morte de bugios na região, o que garantiu a imunização de boa parte da comunidade. Assim, a orientação é que as pessoas confiram suas carteiras de vacinação para verificar se já estão imunizadas. Caso não tenha o documento, é possível conferir a situação na Unidade de Saúde onde acredita ter se vacinado, já que os postos têm o registro das aplicações.

No caso das pessoas que realizaram a imunização em pontos volantes, a referência é a Policlínica Central José Erasmo Crossetti (Rua Floriano Peixoto, 1.752 - Bairro Centro).

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas mensagem de texto)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249