contatos Assine
saúde pública

Para reformar o Hospital Regional, prefeitura deve gastar cerca de R$ 50 mil

01 Fevereiro 2018 11:30:00

Orçamento feito pela equipe técnica da Secretaria de Estruturação e Regulação Urbana

Thays Ceretta

Foto: Gabriel Haesbaert (Diário)
Prefeitura garante que bancará os serviços das pequenas reformas

Aos poucos, as questões relacionadas ao Hospital Regional de Santa Maria começam a ser resolvidas. A primeira, e quem sabe a mais rápida de colocar em prática, é a reforma que precisa ser feita na estrutura sugerida no Plano Operacional elaborado pelo hospital Sírio Libanês de São Paulo. Antes mesmo do anúncio oficial de que o Instituto de Cardiologia - Fundação Universitária de Cardiologia do Rio Grande do Sul seria o gestor do complexo, o Executivo havia dito que bancaria os consertos.

Na tarde de ontem, o prefeito de Santa Maria, Jorge Pozzobom, viajou à Capital para tratar desse assunto com o secretário estadual de Saúde, João Gabbardo dos Reis. Conforme o prefeito, a equipe técnica da prefeitura fez um levantamento completo no local e produziu um orçamento para a pequena reforma.

Anvisa dá conceito A para o Husm em redução de incidentes

- O orçamento que nós temos não chega a R$ 50 mil, são pequenas coisas, foi o ventaval que arrancou a calha, a calha que entupiu, o gesso que caiu, essas pequenas estruturas eu vou resolver, se tiver que reformar sala para adaptar, isso não é comigo é com o instituto - explicou o prefeito.

Na reunião de ontem, Pozzobom entregaria, em mãos, o orçamento feito pela prefeitura ao secretário de Saúde do Estado.

- Vamos buscar esse valor com parcerias de entidades da cidade e aquilo que eu puder fazer através da prefeitura com serviços que a gente já presta é legalmente correto. Agora o Gabbardo conversa com o executivo do Instituto de Cardiologia para analisar a parte técnica - explicou o prefeito.

O prefeito Jorge Pozzobom ressaltou que, além de arcar com os custos dos reparos, a prefeitura também assumiu o compromisso de auxiliar em outras questões técnicas e administrativas necessárias para a abertura do Hospital Regional, como a habilitação da Instituto de Cardiologia, registro, alvarás, Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio, entre outros. O chefe do Executivo destacou que foi criado um setor específico, vinculado ao seu gabinete, para tratar as demandas com prioridade absoluta.

Profissionais do Husm integram rede de intercâmbio na França

Na última terça-feira, engenheiros e arquitetos da Secretaria Estadual de Saúde e da Fundação Universitária de Cardiologia estiveram no local fazendo uma visita técnica a pedido do Governo do Estado. A vistoria no hospital foi para tratar dos pequenos reparos necessários em decorrência do último temporal que atingiu a cidade, em outubro de 2017, e que danificou algumas estruturas da instituição e também para analisar o orçamento feito pela prefeitura.

João Gabbardo dos Reis não atendeu as ligações da reportagem e a assessoria de comunicação do órgão informou por telefone e por e-mail que ele não iria manifestar-se sofre a reunião.

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249