contatos Assine
Surto de toxiplasmose

'Há possibilidade de mais pacientes com toxoplasmose', diz secretária de Saúde

23 Abril 2018 20:51:00

Novo boletim será divulgado na tarde desta terça-feira

Pâmela Rubin Matge

Foto: Charles Guerra (Diário)
Santa Maria já contabiliza 21 casos de toxoplasmose

O boletim atualizado com números de casos de toxoplasmose em Santa Maria deve sair na tarde desta terça-feira. Contudo, a secretária de Saúde do município, Liliane Mello Duarte, adiantou, por volta das 19h30min desta segunda, que há indícios de aumento:

 - Eu, enquanto secretária, não gostaria que tivesse mais nenhum caso. Mas, baseado em evidências sorológicas é possível que aumente o número de pacientes com toxoplasmose na cidade de Santa Maria.

:: Leia todas as notícias sobre o surto de toxoplasmose na cidade ::

O que é sabido, até o momento é que há 21 casos confirmados nas 72 amostras já enviadas ao Laboratório Central de Saúde Pública do Estado (Lacen).

17 respostas sobre a toxoplasmose e cuidados que você precisa ter

Em um denominado Gabinete de Situação, que conta com profissionais das Vigilâncias em Saúde do município e do Estado, estão compiladas as 156 notificações de toxoplasmose de (incluindo as 72 já enviadas). As demais seguem em um procedimento de análise interna, antes de serem remetidas.

A chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual, Tani Ranieri, acrescenta:

- É preciso uma análise de tempo e espaço, de estudar se a contaminação está aumentando ou diminuindo e se tem origem hídrica ou por alimentos. Temos de aguardar e seguir na investigação que é difícil, devido o tamanho de uma cidade como Santa Maria.

Tani também informou que o tempo de diagnóstico da toxoplasmose no Lacen é de 48 horas e que a primeira amostra dos casos já confirmados chegou ao laboratório no dia 11 de abril. 

O caminho para diagnóstico
Na cidade, há laboratórios particulares de análises clínicas que fazem exames que identificam os reagentes para toxoplasmose. Além disso, há os casos que chegam ao Husm, aos demais hospitais particulares e os encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde aos 11 laboratórios conveniados com Estado, que atendem o município. 

Conforme Liliane Mello Duarte, está sendo montado um banco de dados para concentrar todos os exames de todos os pacientes de Santa Maria, para enviar à confirmação do Laboratório Central de Saúde Pública do Estado (Lacen) em Porto alegre. Na última semana, uma reunião pactuou esse fluxo com os laboratórios. Segundo Liliane, isso agora só depende de uma questão estrutural: alguns enviam os exames diretamente à Capital, e outros, o município faz a busca e dá o encaminhamento.

Análise da água da Corsan pode levar duas semanas para ficar pronta

Ainda em abril, o maior laboratório particular da cidade, o Labimed, atendeu o pedido da Secretaria Municipal de Saúde para que enviasse todos os exames de 2018, que confirmaram os reagentes para toxoplasmose (IGG e IGM). Além disso, no início deste mês, também foi solicitado que enviassem a ficha cadastral de cerca de 10 pacientes diagnosticados, junto de informações como nome, idade e endereço.

Segundo o farmacêutico e sócio do Labimed Elehú Oliveira, não era protocolo do laboratório enviar relatórios de exames de toxoplasmose à prefeitura. Contudo, desde que o cenário de surto começou, as informações têm sido repassadas a cada três dias.

- Estamos comunicando o município desde o início de abril. Aqui, realizamos o exame Toxoplasmose IGG e IGM, com metodologia similar ao do Lacen - conta Oliveira.

O Labimed não informou ao Diário o número de casos notificados ao município, à pedido da Secretaria de Saúde, que alega ser o canal oficial para informações relacionadas ao surto.

A evolução
De acordo com a nota divulgada pela prefeitura na última quinta-feira, a Secretaria de Saúde detectou, no dia 3 de abril, a ocorrência de casos de uma doença febril no município e, imediatamente, informou a Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul 

  • Em 9 de abril, a 4ª Coordenadoria Regional de Saúde e o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS) do Estado foram informados e passaram a auxiliar na investigação epidemiológica
  • A primeira lista de casos suspeitos foi relacionada em 12 de abril, mesma data que se iniciou a investigação, tendo como suspeita dengue, chikungunya e toxoplasmose
  • No dia 16 de abril, o surto de toxoplasmose foi comunicado oficialmente e, desde então, uma equipe do CEVS se deslocou ao município para colaborar na investigação do surto
  • Conforme a nota oficial, o primeiro paciente identificado com a doença começou a apresentar os sintomas (febre, dor de cabeça, dor no corpo, ínguas e dor abdominal) em 20 de fevereiro
  • Para ajudar na identificação, as autoridades estão fazendo uma varredura nos prontuários médicos de todos os pacientes atendidos na rede de saúde com suspeita e que apresentaram os sintomas um mês antes
  • Na sexta-feira, a prefeitura divulgou um boletim com os dados e os números atuais 

O que diz o boletim

  • Até sexta-feira, 156 casos foram notificados pelos médicos da rede pública e da área privada à Superintendência de Vigilância em Saúde
  • Todos deram positivo para toxoplasmose na primeira coleta laboratorial na cidade
  • Desses, 72 amostras foram coletadas pelos técnicos do Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (Lacen/RS)
  • Até agora, 21 casos foram confirmados com a toxoplasmose pelo Lacen/RS
  • Sete desses casos são gestantes
  • Quatro casos deram resultado negativo
  • 47 amostras estão aguardando resultado, sendo três de gestantes
  • Os casos foram registrados em 13 bairros de Santa Maria, que são locais de referência de residência, e não, necessariamente, de contaminação



fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249