contatos Assine
investigação

Servidores municipais depõem na CPI das Máquinas

11 Abril 2018 20:20:00

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) investiga suposto favorecimento no uso de máquinas da Prefeitura

José Mauro Batista


Foto: Fabricio Vargas (Divulgação)

Cinco servidores municipais foram ouvidos na tarde desta quarta pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara de Vereadores que apura suposto favorecimento da atual administração ao proprietário de área particular, no Bairro Passo das Tropas, no dia 24 de fevereiro deste ano. Eles foram questionados sobre a denúncia feita pelo vereador Marion Mortari (PSD), que filmou máquinas e funcionários da prefeitura no imóvel.

Câmara cria CPI, e prefeitura abre sindicância para apurar uso de máquinas públicas

Operador de máquinas há cinco anos, Tarcísio Morais Gonçalves confirmou ter entrado na área particular para preparar o local para depósito das pedras que seriam colocadas na Estrada Municipal Antônio Ovídio Severo. Com uma patrola, Gonçalves removeu a terra úmida para facilitar o acesso ao terreno, que já estaria terraplanado. O serviço foi interrompido quando Mortari apareceu. Ele foi escalado para fazer o serviço pelo coordenador das equipes de pátio da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, Carlos Augusto Callage Silveira.

- O vereador estava exaltado, dizendo que era uma ilegalidade, e começou a filmar - disse Gonçalves, que ligou para Callage e foi orientado a parar o serviço.

Secretários dão suas versões sobre uso de máquinas da prefeitura em propriedade particular

Já o servidor Claiton Marinho disse que seis caminhões foram utilizados para levar pedras ao depósito. Questionado pelo presidente da CPI, Valdir Oliveira (PT), Marinho disse que foi a primeira que viu as pedras serem depositadas em uma propriedade particular".

O servidor Cleri João Benrenz, motorista de caminhão, também confirmou ter depositado pedras na área indicada.

O motorista Miguel Leonir da Silva, funcionário municipal há 32 anos, disse que foi convocado por Callage para o serviço de patrolamento e empedramento. Ele era responsável por operar um caminhão-caçamba, mas a missão foi cancelada antes mesmo de ele ir ao local.

- Fomos orientados a parar o serviço - disse, afirmando que a orientação era de que as pedras fossem colocadas em um depósito para serem utilizadas na via principal (na Antônio Maciel).

Vereadores do PT em Santa Maria entram em rota de colisão

O motorista Nelson Ferreira de Souza, último a depor, disse que conhecia o dono da área, que é médico. Nelson contou que, a pedido dele, forneceu o contato do secretário-adjunto de Infraestrutura, Eduardo Leitão Crisóstomo.

O QUE COINCIDIU NOS DEPOIMENTOS
Ordem de serviço 

  • Os servidores foram escalados na sexta-feira, para trabalhar no dia 24 de fevereiro 

O pagamento

  • A compensação seria com o pagamento de horas extras

Abastecimento dos veículos

  • O abastecimento é controlado por cartão, mas todos estavam abastecidos

Quem chefiou o trabalho

  • Foi o coordenador das equipes de pátio da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, Carlos Augusto Callage Silveira

A suspensão e a ordem

  • O serviço foi suspenso quando o vereador Marion Mortari apareceu e começou a filmar, alertando que o trabalho era irregular
  • A ordem para a suspensão dos trabalhos partiu de Callage

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas mensagem de texto)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249