contatos Assine
segurança

Cidade que adotou cercamento eletrônico reduziu crimes em até 55%

13 Março 2018 12:00:00

Santa Maria deve receber o mesmo sistema de monitoramento por câmeras que permitem até identificar carros roubados

Deni Zolin

Foto: Associação Comercial de Marau (Divulgação)

A implantação do sistema de cercamento eletrônico, que deve ser licitado em breve em Santa Maria, como a coluna noticiou ontem em primeira mão, será um grande avanço para Santa Maria. Cidades que já adotam o sistema, como Marau, registraram queda expressivas, de até 55%, nos índices de criminalidade. A evolução tecnológica, com câmeras que leem placas de carros alertando sobre a presença de carros roubados ou suspeitos, e a central de monitoramento que permite o controle de boa parte da cidade, ajuda muito o trabalho das polícias e intimida assaltantes e traficantes a agirem.

Começa a construção de usina de energia solar no campus da UFSM

Em Marau, o programa foi chamado de Olho Vivo e foi implementado em outubro de 2014. Segundo um dos integrantes do projeto, o empresário Antonio Luiz Oneda, a criminalidade estava em índices crescentes na época. Agora, comparando os dados de 2013 (antes da implantação do sistema) com os de 2017, a redução foi de 55% nos homicídios, de 36% nos roubos, 46% nos furtos, de 48% nos roubos e furtos de veículos e de 47% no tráfico de drogas. Isso foi graças ao sistema que inclui 109 câmeras pela cidade (sendo 68 do tipo PTZ, que giram e aproximam imagens, e 12 OCR, nas entradas da cidade, que identificam placas de carros, e 27 câmeras), uma sala de controle na Brigada Militar e uma na Polícia Civil, além de dois equipamentos para instalar em viaturas. É uma rede de fibra ótica própria e específica para o projeto, que foi bancado pela prefeitura e Câmara, Associação Comercial e Industrial de Marau, empresários, Judiciário e comunidade em geral.

Empresa de informática do Recife estuda abrir filial em Santa Maria

Oneda diz que, com certeza, valeu a pena o investimento, e recomenda que outras cidades adotem sistemas semelhantes.

- Com certeza, recomendo que seja implementado em outras cidades. Desde que seja um projeto construído em conjunto com a sociedade e poderes constituídos, com - e para - a comunidade. Também sempre recomendamos que se visite um local onde tenha projeto implantado e em plena operação. Assim, ganha-se tempo e se corrige possíveis problemas futuros, pois já sai com o melhor e agregando melhorias e evolução - diz ele, citando que este ano serão instaladas câmeras nos distritos de Marau e também haverá a interligação do sistema com outros órgãos da cidade.

É quase interminável a lista de obras públicas paradas em Santa Maria

Acredito que, como Santa Maria é bem maior do que Marau, que tem 40 mil habitantes, possivelmente o cercamento eletrônico aqui não conseguirá reduzir os índices de criminalidade como ocorreu lá, em que os homicídios baixaram 55%, mas qualquer redução será um avanço. Vale lembrar que aqui, serão bem mais câmeras, sendo 53 do tipo OCR, que lê placas.

Conversei também com o chefe da Polícia Rodoviária Federal em Santa Maria, Heder Macedo, que apoia esse tipo de iniciativa.

- Com certeza, esse sistema de câmeras com OCR e o cercamento eletrônico é um grande ganho, pois faz com que os criminosos evitem entrar nas cidades que têm esse sistema - diz ele, que foi a Marau conhecer o sistema.

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249