contatos Assine
obituário

Morreu advogada Nadir Pacheco Bertoia

09 Abril 2018 12:00:00

Apaixonada por Direito e pela família, ela lutava pelas coisas nas quais acreditava. Confira outros falecimentos em Santa Maria e região

Fotos: Arquivo Pessoal


Engajada na luta por igualdade entre mulheres e homens, Nadir Pacheco Bertoia, 73 anos, sempre foi apaixonada pela ideia de defender as causas nas quais acreditava. A idosa se formou na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), em 1967, no curso de Direito. Mas, dois anos e meio antes de receber o diploma, ela já exercia a profissão. E seguiu atuando até um mês antes de morrer. Apaixonada pela advocacia, Nadir não deixava de atender aos clientes nem mesmo de madrugada.  

- A mãe dizia que dava carinho aos clientes, não só os atendia. Quando ela estava no hospital, eles ligavam, e, mesmo debilitada, ela atendia ao telefone e resolvia os processos - diz o filho mais velho, Christian Pacheco Bertoia, 47 anos.

Nadir foi casada por 45 anos com o médico Arare Gilberto Maya Bertoia (já falecido). Além de Christian, os dois eram pais de Romeu Bertoia Neto, 37 anos.

A família estava sempre reunida, já que a advogada prezava muito pela proximidade entre os parentes. Christian, inclusive, também se formou em Direito e trabalhava no escritório da mãe. Os dois iam e voltavam juntos do trabalho todos os dias e conversavam muito sobre a vida e sobre o ofício que escolheram. Por muitos anos ela foi conselheira e laureada da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Nadir também foi procuradora jurídica e secretária de Obras em Santa Maria.

Nascida em São Pedro do Sul, ela mantinha, até 1994, um escritório na cidade. Conforme o filho e sócio, a advogada sempre foi muito integra e prezava pela ética na profissão.

Nadir nunca teve um processo ético movido contra ela e tinha muitos clientes nas áreas de família e médica.

- Ela era um exemplo de mãe, mulher, profissional e sogra. Eu sempre falo que tive uma segunda mãe. A Nadir só nos deixou boas lembranças. Ela superou o preconceito na área jurídica logo após se formar, já que, no meio, a grande maioria era de homens. Muito guerreira e corajosa, ela nos deixou dois ensinamentos: o amor pela família e o amor pela profissão. Era muito dedicada - recorda a nora Micheline Bertoia, 45 anos, que conviveu com a advogada por quase três décadas.

Avó de Alfredo Schmitt, 28 anos, Christian Filho, 19, Valentina Bertoia, 6, e Enrico Bertoia, 2, Nadir também criou o sobrinho Oswaldo de Oliveira Pacheco, 54 anos, como um filho, e os filhos dele, Laura, 16, Otávio, 5 e Alice, 2, como seus netos. Aos domingos, quando reunia a família, Nadir pedia comida de restaurantes para poder ficar mais tempo conversando com os netos e tomando seu tradicional café.

- No escritório, ela tomava muito o café e chimarrão. Eu e meu sócio estamos nos reestruturando para poder atender aos nossos clientes do jeito que a mãe fazia - diz o filho Christian.

O neto Christian era quem acompanhava a avó nas quimioterapias e em outros tratamentos de saúde. Influenciado pela convivência com a avó e o pai advogados, ele também decidiu cursar Direito.

Nadir também tinha como paixão as viagens para diferentes praias e o Carnaval. Ela adorava desfilar em escolas de samba com o marido.

A advogada ficou internada por 21 dias no Hospital de Caridade Astrogildo de Azevedo, lutando contra um câncer no pulmão. Em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, Nadir sofreu um infarto. Ela foi sepultada no dia seguinte, às 9h no Cemitério Ecumênico Municipal, em Santa Maria.

Morreu bancário aposentado Paulo Accetta Erguy

OUTROS FALECIMENTOS EM SANTA MARIA E REGIÃO 

Funerária São Martinho

28/03

Gledis de Oliveira Witzel, aos 59 anos, foi sepultada no Cemitério Ecumênico Municipal, em Santa Maria

Demétrio Ramos, aos 58 anos, foi sepultado no Cemitério Ecumênico Municipal, em Santa Maria

30/03

Claiton Rodrigues de Souza, aos 38 anos, foi sepultado no Cemitério Ecumênico Municipal, em Santa Maria

Bruna Marafiga Martins, aos 24 anos, foi sepultada no Cemitério Santa Rita, em Santa Maria

01/04

Flory Machado de Lima, aos 85 anos, foi sepultado no Cemitério Ecumênico Municipal, em Santa Maria

As informações sobre falecimentos podem ser enviadas para natalia.zuliani@diariosm.com.br ou pelo telefone (55) 3213-7122

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas mensagem de texto)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249