contatos Assine
violência escolar

Estudo aponta queda de violência escolar na rede estadual de ensino

01 Janeiro 2018 13:00:00

Conforme o levantamento, a participação da família foi o principal motivo dos resultados positivos


Foto: Lucas Amorelli (Diário)/Com o objetivo de diminuir as ocorrências, as ações envolveram alunos, professores e familiares

Um levantamento feito junto às escolas da rede estadual, por meio do programa Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar (Cipave), aponta que o índice de violência no ambiente escolar diminuiu no segundo semestre de 2017. O mapeamento do segundo semestre de 2016 apontava 55.750 casos de violência contra 40.607 no segundo semestre deste ano, ou seja, uma redução de 27,2%. O primeiro semestre de 2017, com 52.985 casos, já vinha apontando para a redução, com 2.765 casos a menos do que o segundo semestre de 2016.

A diferença entre o primeiro e o segundo semestre deste ano, por sua vez, aponta uma redução de 12.378 casos de violência no período (veja abaixo). Em Santa Maria, diversas ações foram desenvolvidas para orientar os professores e estudantes. Duas instituições locais - a Escola Coronel Pilar e o Colégio Tiradentes - foram, inclusive, finalistas no concurso de combate à violência promovido pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc).

Conforme a coordenadora estadual da Cipave, Luciane Manfro, é preciso parabenizar a participação das famílias e dos alunos. Segundo ela, o engajamento de todos foi o principal motivo dos resultados positivos.

- Temos que enfatizar a participação dos pais e dos estudantes que neste ano de 2017 tiveram um engajamento muito maior no enfrentamento da violência. Este foi o diferencial para a evolução do Programa no nosso Estado - explica.

Os casos de indisciplina em sala de aula, por exemplo, sofreram uma redução de 30,8 %. Foram 25.888 no segundo semestre de 2016 contra 17.938 no último semestre de 2017. Os casos de bullying passaram de 6.775 contra 4.946 no mesmo período (27%) e o uso ou tráfico de drogas passou de 1.003 casos para 610, com uma redução de 39,2%.

METAS 

Além da criação de um aplicativo e do jogo de computador que irá permitir que os jovens lidem com os conflitos de forma virtual, a meta de 2018, no âmbito do Cipave, são atualizações dos dados sobre a violência de forma online no site do programa, que funcionarão de forma trimestral, e a formação de comissões na totalidade das escolas da rede estadual. Do total de 2.545 existentes na rede, atualmente, 2.430 escolas participam do programa. 

A Cipave irá contar também com novos parceiros como a Ordem dos Advogados do Brasil do Rio Grande do Sul (OAB-RS), a Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e com Altas Habilidades no Rio Grande do Sul (Faders), a União dos Escoteiros do Brasil - Região do Rio Grande do Sul e a Fundação Milton Campos.

A violência nas escolas 

Confira os cinco tipos de ocorrências que tiveram mais registros nas escolas da rede estadual: 

Indisciplina em sala com registro 

  • 2º semestre/2016 _ 25.888
  • 1º semestre/2017 _ 23.084
  • 2º semestre/2017 _ 17.938

Violência física entre alunos 

  • 2º semestre/2016 _ 6.821
  • 1º semestre/2017 _ 7.340
  • 2º semestre/2017 _ 6.096

Agressão verbal aos servidores 

  • 2º semestre/2016 _ 7.185
  • 1º semestre/2017 _ 7.270
  • 2º semestre/2017 _ 5.383

Bullying

  • 2º semestre/2016 _ 6.775
  • 1º semestre/2017 _ 6.460
  • 2º semestre/2017 _ 4.946

Pichação, depredação, dano na escola 

  • 2º semestre/2016 _ 3.173
  • 1º semestre/2017 _ 2.487
  • 2º semestre/2017 _ 2.057

Total de ocorrências

  • 2º semestre/2016 _ 55.750
  • 1º semetre/2017 _ 52.985
  • 2º semestre/2017 _ 40.607

Fonte: Seduc

mais sobre:

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7100
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas mensagem de texto)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249