contatos Assine
opinião

Soja atinge R$ 77 e acumula alta de 38% em 12 meses

12 Abril 2018 15:00:00

Colunista Deni Zolin comenta sobre a alta do soja

Deni Zolin


Foto: Gabriel Haesbaert (Arquivo Diário)

Raramente, isso acontece. Mesmo em plena colheita de grãos, quando a oferta cresce, a cotação da saca de soja segue em alta e atingiu expressivos R$ 77 pela saca nesta quarta-feira, na Cotrijuc, de Júlio de Castilhos, e na Cotrisel, de São Sepé. A arrancada dos preços ocorreu primeiro com as notícias de quebra na safra Argentina e, recentemente, em função das ameaças da China de sobretaxar em 25% a soja norte-americana e também da alta do dólar.

Briga EUA-China ajuda a soja gaúcha

A título de comparação, a saca de soja subiu 12,4% nos últimos 30 dias, pois estava em R$ 68,50 em 12 de março. Em comparação com janeiro, a alta acumulada este ano chega a 25%, já que a cotação mais baixa chegou R$ 61,50 no início do ano. Além disso, o aumento do preço da soja atinge expressivos 38% na comparação com a cotação da safra passada, há exato um ano atrás, quando a saca valia R$ 55,50 - ou seja, são R$ 21,50 a mais por saca em relação a abril de 2017.

Os analistas de mercado ainda não sabem exatamente o que vai ocorrer, já que além da variação em Chicago, que estava em leve queda ontem, o preço tem subido em função da alta do dólar nos últimos dias. Hoje, a tendência é de a soja começar o dia a R$ 76.

Colheita de soja começa com previsão do boa produtividade

O clima é de total incerteza porque não se sabe se a disputa comercial entre China e EUA seguirá. Há a suspeita de que seja só guerra de discursos e que os dois países cheguem a um acordo, pois eles podem sair perdendo se a disputa continuar. Se houver acordo e a China não sobretaxar a soja norte-americana, como vem ameaçando, os preços da soja tendem a cair aqui no Brasil daqui para a frente.

OTIMISMO NA REGIÃO
O clima é de otimismo entre os produtores de soja e nas cidades onde não faltou chuva e a produtividade está boa, pois a expectativa inicial era vender a soja a R$ 65 nesta safra. Mesmo quem tinha fechado contratos para entregar a soja a R$ 70 daqui a um mês ainda terá bom lucro. Até porque, segundo o gerente comercial da Cotrijuc, Luiz Cesar Moro, não se sabe qual será a cotação daqui a um mês. 

Leilão de ações do Banrisul pode beneficiar duplicação da Faixa Velha

Ainda é pequena a parcela de produtores que tiveram perda significativa. Em geral, a boa renda da soja dará um fôlego para a economia da região e vai compensar outros problemas que prejudicam o consumo, como os atrasos salariais de Sartori e o baixo preço do arroz, que afetará a receita dos municípios produtores do grão. Como o agronegócio é um dos importantes pilares da economia da região, a safra de soja ajudará a região a ter um 2018 melhor do que em 2017, ao que tudo indica.

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas mensagem de texto)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249