contatos Assine
Desenvolvimento

Empresa de Santa Maria quer ampliar exportação à África

27 Fevereiro 2018 12:00:00

Agrimec recebeu comitiva de Chade, para quem deverá fornecer implementos agrícolas

Fotos: Rafael Miranda (Divulgação)
Na Agrimec, Odilo Marion (à esq.) mostra aos africanos de Chade um dos implementos para arroz que podem ser exportados

A agricultura é um setor que movimenta milhões ao redor do mundo, muito além de apenas a comercialização do que é produzido. Dentre as necessidades para a lavoura, estão insumos, fertilizantes e equipamentos. É nesse último ramo que uma empresa santa-mariense atua e está presente em toda a América Latina, Ásia e África. A presença no continente africano está prestes a ser ampliada, já que a direção da empresa negocia implementos para o cultivo de arroz com outro país.

A Agrimec está em tratativas com o governo do Chade, país da região Central da África, para exportação de implementos para o cultivo de mais de 13 mil hectares de arroz em solo africano.

- O processo de produção deles é muito rudimentar ainda. Estive lá em janeiro e pude conhecer. As lavouras são colhidas com foice. O arroz é peneirado ao vento (para retirada da casca). O governo quer investir porque a população precisa se alimentar. Tem muita água e, também, muita gente para quem dar emprego - diz o diretor da empresa Odilo Pedro Marion.

Segundo Marion, a expectativa é abastecer o país com toda a linha arrozeira de implementos, que tem mais de 200 tipos de equipamentos produzidos pela Agrimec. Sobre as negociações, o empresário é bem cauteloso, principalmente quanto ao início das exportações dos produtos.

- Ainda estamos dando os primeiros passos do contrato. Negociando sobre questões ligadas a seguros e outros trâmites. As exportações devem iniciar de fato entre seis meses e um ano - analisa Marion, que destaca a negociação como uma retomada após dois anos de queda no setor, principalmente devido à queda do preço das commodities no mercado internacional.

Safra de soja tem perdas isoladas na Região Central

A negociação com o país de Chade está bem afinada. Tanto que, na semana passada, uma comitiva com quatro membros do governo daquele país esteve em Santa Maria com o objetivo de conhecer as tecnologias e os processos ligados ao cultivo de arroz irrigado. O grupo era formado pelo secretário-geral do Ministério de Produção, Irrigação e Equipamentos Agrícolas do Chade, pelo diretor da Dívida Adjunta no Ministério das Finanças e Orçamento, pelo diretor-geral da Agência Nacional de Apoio ao Desenvolvimento Rural, e ainda por um assessor.

Em visita à sede da empresa Agrimec, todos puderam conhecer um pouco sobre a fabricação dos produtos e suas funcionalidades. Além disso, a comitiva foi levada até uma empresa rural produtora de mais de 1,5 mil hectares de arroz, na cidade de São Borja, para conhecer um pouco mais sobre o processo de irrigação, distribuição de água na lavoura, colheita, secagem, estocagem e beneficiamento do grão.

A negociação da empresa santa-mariense ocorre em decorrência do Projeto Boumou, desenvolvido pelo governo do Chade que tem, entre um dos objetivos, a aquisição de máquinas e equipamentos para viabilizar a produção de 13 mil hectares de arroz no município de Lai, na província de Tanjile.

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas falhas de entrega)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249