contatos Assine
Agricultura

Chuva evita novas perdas nas lavouras de soja da região

16 Março 2018 11:30:00

Alívio foi mais eficaz às pastagens

Foto: Charles Guerra (Diário)
Em algumas cidades, produtividade das lavouras deve cair até 30%

A madrugada desta quinta-feira foi de chuva em praticamente todo o Rio Grande do Sul. Em Santa Maria, a estação do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou 61 milímetros (mm). Municípios que devem decretar situação de emergência nos próximos dias tiveram índices menores, como é o caso de Caçapava do Sul, com média de 26 mm, e São Sepé, com cerca de 40mm. Mas estes dois municípios já registram perdas irreversíveis devido à estiagem. A chuva de ontem não deve reverter a situação, principalmente das lavouras, mas evita o aumento das perdas.

- Foi uma precipitação muito baixa. Na situação que está, infelizmente esse índice não altera em nada. Não foi suficiente para acumular água nos reservatórios. O decreto de emergência deve ocorrer nos próximos dias, assim que tivermos finalizados todos os laudos de perdas das lavouras - explica o secretário de Agropecuária de Caçapava do Sul, Marcelo Freitas.

Segundo ele, o abastecimento de água para o consumo de famílias do interior do município deverá contar com ajuda de um caminhão-pipa do Exército. O pedido de ajuda foi feito devido à grande demanda de pessoas precisando de água e a prefeitura ter só um caminhão disponível. O Exército deverá dar uma resposta à prefeitura caçapavana entre hoje e segunda-feira.

Em uma noite, choveu quase a metade da média esperada para todo o mês em Santa Maria

No caso de São Sepé, que contabiliza perdas de até 40% nas lavouras de soja e de 50% nas de milho, a chuva serviu só para amenizar a situação das pastagens.

- O estrago nas lavouras é irreversível. A partir de agora, pode chover, não tem como recuperar. Apesar de pouca, a chuva pode ser boa para a pecuária, já que traz um pouco de umidade para o pasto que estava quase seco - diz o técnico da Emater de São Sepé Paulo Silva.

O município deverá decretar emergência nos próximos dias.

No caso de São Gabriel, que já decretou emergência no começo da semana, a chuva de 30mm e 60mm de ontem freia um possível aumento de perdas.

- Temos 30% de perdas nas lavouras de soja, mas, se não tivesse chovido, esse número poderia chegar a 40% ou 50% - diz Guilherme Coradini da Silva, chefe da Emater local.

Na semana que vem, deve chover fraco (veja ao lado).

A SITUAÇÃO NA REGIÃO DEPOIS DA CHUVA

CAÇAPAVA DO SUL

  • A pequena quantidade de chuva registrada, em torno de 26mm, não serve para reverter o quadro de perdas das lavouras e das pastagens do município, segundo a Emater local.
  • Conforme a secretaria de Agropecuária do município, houve um pedido de apoio de um caminhão-pipa do Exército para distribuição de água para famílias que vivem em localidades do interior.
  • O município aguarda laudos técnicos de avaliação de perdas para decretar situação de emergência, o que deve ocorrer nos próximos dias.

JÚLIO DE CASTILHOS

  • Choveu ontem 85mm no município, segundo a Emater, o que garantirá o bom enchimento de grãos e maturação da soja. As lavouras do cedo estão obtendo produtividade na faixa de 69 sacas por hectare. As do tarde sofreram com a falta de chuva nas últimas semanas e devem produzir pouco menos de 60 sacas, o que ainda é uma boa produtividade. Como a média da safra de 2017 foi de 63 sacas, não é considerada uma perda. São 92 mil hectares de soja no município.
  • A chuva garante a manutenção das pastagens, que estão em bom estado.

SANTIAGO

  • No caso da soja, as perdas ainda são isoladas. Chuva que variou entre 60mm e 110mm em diferentes localidades do interior do município, ontem, deve contribuir para a produção, que já registrava quebra devido à estiagem.
  • A boa quantidade, conforme a Emater, contribuiu para o abastecimento de açudes e reservatórios de água para os animais.
  • Não há risco de decretar situação de emergência

 SÃO GABRIEL

  • Ontem, chuva variou de 30mm (na sede e perto de Rosário do Sul) a 60mm no norte do município, perto de Santa Maria, segundo a Emater.
  • Na avaliação de Guilherme Coradini da Silva, chefe do escritório municipal, "a chuva ajudará a estancar as perdas na soja, que estão em 30%, mas poderiam crescer para 40% ou 50% se não tivesse chovido". No município, são 101 mil hectares de soja e 28 mil de arroz, que não tem perdas.
  • As chuvas ajudarão a recuperar as pastagens e, em alguns pontos, juntar água para animais, lavouras de arroz e abastecimento de famílias. Atualmente, 200 famílias recebem água em caminhões-pipa.

SÃO SEPÉ

  • A chuva registrada em diferentes regiões variou entre 30mm e 58mm conforme a localidade. A média geral ficou em torno dos 40mm, o que não é suficiente para reparar os danos já registrados nas lavouras de soja, que podem chegar a 50%, segundo o responsável técnico da Emater Paulo Silva.
  • A baixa precipitação deve ser benéfica para a pecuária, já que contribui para umidade do solo e dando mais vigor às pastagens
  • O município deverá seguir a decisão de decretar situação de emergência. A definição deve ocorrer hoje.

TUPANCIRETÃ

  • Choveu ontem de 30mm a 100mm no interior, garantindo a manutenção da produtividade da soja, que não tem perdas. Não há falta de água no município.

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas mensagem de texto)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249