contatos Assine
teste

teste de reportagem

20 Janeiro 2018 00:00:00

teste


Contudo, a descrença de Valquiria não aniquila a resistente capacidade de sonhar das filhas. Quando, na última semana, Érica chegou da rua com a guirlanda e lembrou que "estava perto do Natal", a mãe logo pendurou o objeto. "Foi presente do tio", disse a menina. A propósito, esse é o único enfeite que remete à data no imóvel de dois cômodos onde a família mora há cerca de oito anos, no Bairro Nova Santa Marta.

TÍTULO ABRE REPORTAGEM

Enquanto o 25 de dezembro não chega, Valquiria vive a passagem dos dias resignada. Se algum presente aparecer, será de um vizinho ou desconhecido. Há meses, ela aguarda por um dinheiro prometido pelo pai das meninas, que não mora com elas, mas não o dá como certo. Se receber, o que ela mais espera é de apenas ter a dignidade de fazer uma ceia junto das filhas. Mas nada de panetones e perus. Valquira já se realiza se conseguir comprar batatinhas para o Natal:

1. TÍTULO TÍTULO TÍTULO TÍTULO

Na Rua das Rosas, no Bairro Patronato, uma casa chama a atenção de quem passa. E não é pela cor rosa da residência, que combina com o nome da rua, mas, sim, pela decoração natalina que praticamente toma conta de toda a porta de entrada da casa.

Além dos festões de Natal cor de prata, na grade da porta impera, majestosa, uma guirlanda vermelha com um barbudo Papai Noel. Um adereço que ganhou um significado muito bonito para a dona da casa, a auxiliar de limpeza Silvia Barcelos Carvalho, 52 anos. Ela conta que retornava para casa há dois anos quando encontrou o enfeite em uma lata de lixo na Rua Tuiuti, no Centro. 

De acordo com ela, que tem 10 filhos, 29 netos, e dois bisnetos, o achado chegou para alegrar a vida dela e das crianças, que são o real motivo dos enfeites natalinos pela casa. 

_ Eu gosto muito de Natal, mas eu faço isso mais pelas crianças. Por isso, quando eu encontrei essa guirlanda no lixo, logo pensei em trazer para casa. O ano passado foi o primeiro ano que usei _ comenta Silvia, enquanto afaga o enfeite como se fosse algo muito precioso. E para ela, de fato, é. 

No mesmo terreno em que está a casa da dona Silvia, também está a casa do filho e da nora. Na porta da casa deles, há uma guirlanda confeccionada pela auxiliar de limpeza, cujos itens para compor o enfeite também foram encontrados no lixo. 

_ Eu fiquei tão feliz de montar a guirlanda para minha nora, e o melhor que foi tudo com coisas que eu achei. E eu fiz já faz umas duas semanas _ conta, orgulhosa. 

A auxiliar de limpeza mora em uma casa humilde, sem luxo algum. Mas, nem por isso, economiza sorrisos. Silvia diz que gosta muito desta época e das casas enfeitadas. E explica por que a sua não recebeu a decoração completa neste ano. 

_ Antes, eu fazia mais coisas. Colocava luzinhas na frente da casa, mas, aí, fiquei sem luz, porque não consegui pagar. Mas eu gosto de Natal, porque é o nascimento de Jesus _ conclui.

2. TÍTULO TÍTULO TÍTULO TÍTULO

Na Rua das Rosas, no Bairro Patronato, uma casa chama a atenção de quem passa. E não é pela cor rosa da residência, que combina com o nome da rua, mas, sim, pela decoração natalina que praticamente toma conta de toda a porta de entrada da casa. 

Além dos festões de Natal cor de prata, na grade da porta impera, majestosa, uma guirlanda vermelha com um barbudo Papai Noel. Um adereço que ganhou um significado muito bonito para a dona da casa, a auxiliar de limpeza Silvia Barcelos Carvalho, 52 anos. Ela conta que retornava para casa há dois anos quando encontrou o enfeite em uma lata de lixo na Rua Tuiuti, no Centro.  

De acordo com ela, que tem 10 filhos, 29 netos, e dois bisnetos, o achado chegou para alegrar a vida dela e das crianças, que são o real motivo dos enfeites natalinos pela casa.  

_ Eu gosto muito de Natal, mas eu faço isso mais pelas crianças. Por isso, quando eu encontrei essa guirlanda no lixo, logo pensei em trazer para casa. O ano passado foi o primeiro ano que usei _ comenta Silvia, enquanto afaga o enfeite como se fosse algo muito precioso. E para ela, de fato, é.  

No mesmo terreno em que está a casa da dona Silvia, também está a casa do filho e da nora. Na porta da casa deles, há uma guirlanda confeccionada pela auxiliar de limpeza, cujos itens para compor o enfeite também foram encontrados no lixo.  

_ Eu fiquei tão feliz de montar a guirlanda para minha nora, e o melhor que foi tudo com coisas que eu achei. E eu fiz já faz umas duas semanas _ conta, orgulhosa.  

A auxiliar de limpeza mora em uma casa humilde, sem luxo algum. Mas, nem por isso, economiza sorrisos. Silvia diz que gosta muito desta época e das casas enfeitadas. E explica por que a sua não recebeu a decoração completa neste ano.  

_ Antes, eu fazia mais coisas. Colocava luzinhas na frente da casa, mas, aí, fiquei sem luz, porque não consegui pagar. Mas eu gosto de Natal, porque é o nascimento de Jesus _ conclui.

3. TÍTULO TÍTULO TÍTULO TÍTULO

Na Rua das Rosas, no Bairro Patronato, uma casa chama a atenção de quem passa. E não é pela cor rosa da residência, que combina com o nome da rua, mas, sim, pela decoração natalina que praticamente toma conta de toda a porta de entrada da casa.

Além dos festões de Natal cor de prata, na grade da porta impera, majestosa, uma guirlanda vermelha com um barbudo Papai Noel. Um adereço que ganhou um significado muito bonito para a dona da casa, a auxiliar de limpeza Silvia Barcelos Carvalho, 52 anos. Ela conta que retornava para casa há dois anos quando encontrou o enfeite em uma lata de lixo na Rua Tuiuti, no Centro.De acordo com ela, que tem 10 filhos, 29 netos, e dois bisnetos, o achado chegou para alegrar a vida dela e das crianças, que são o real motivo dos enfeites natalinos pela casa.

_ Eu gosto muito de Natal, mas eu faço isso mais pelas crianças. Por isso, quando eu encontrei essa guirlanda no lixo, logo pensei em trazer para casa. O ano passado foi o primeiro ano que usei _ comenta Silvia, enquanto afaga o enfeite como se fosse algo muito precioso. E para ela, de fato, é.
No mesmo terreno em que está a casa da dona Silvia, também está a casa do filho e da nora. Na porta da casa deles, há uma guirlanda confeccionada pela auxiliar de limpeza, cujos itens para compor o enfeite também foram encontrados no lixo.

_ Eu fiquei tão feliz de montar a guirlanda para minha nora, e o melhor que foi tudo com coisas que eu achei. E eu fiz já faz umas duas semanas _ conta, orgulhosa.

A auxiliar de limpeza mora em uma casa humilde, sem luxo algum. Mas, nem por isso, economiza sorrisos. Silvia diz que gosta muito desta época e das casas enfeitadas. E explica por que a sua não recebeu a decoração completa neste ano.
_ Antes, eu fazia mais coisas. Colocava luzinhas na frente da casa, mas, aí, fiquei sem luz, porque não consegui pagar. Mas eu gosto de Natal, porque é o nascimento de Jesus _ conclui.

4. TÍTULO TÍTULO TÍTULO TÍTULO

Na Rua das Rosas, no Bairro Patronato, uma casa chama a atenção de quem passa. E não é pela cor rosa da residência, que combina com o nome da rua, mas, sim, pela decoração natalina que praticamente toma conta de toda a porta de entrada da casa. 

Além dos festões de Natal cor de prata, na grade da porta impera, majestosa, uma guirlanda vermelha com um barbudo Papai Noel. Um adereço que ganhou um significado muito bonito para a dona da casa, a auxiliar de limpeza Silvia Barcelos Carvalho, 52 anos. Ela conta que retornava para casa há dois anos quando encontrou o enfeite em uma lata de lixo na Rua Tuiuti, no Centro. 

De acordo com ela, que tem 10 filhos, 29 netos, e dois bisnetos, o achado chegou para alegrar a vida dela e das crianças, que são o real motivo dos enfeites natalinos pela casa. 

_ Eu gosto muito de Natal, mas eu faço isso mais pelas crianças. Por isso, quando eu encontrei essa guirlanda no lixo, logo pensei em trazer para casa. O ano passado foi o primeiro ano que usei _ comenta Silvia, enquanto afaga o enfeite como se fosse algo muito precioso. E para ela, de fato, é. 

No mesmo terreno em que está a casa da dona Silvia, também está a casa do filho e da nora. Na porta da casa deles, há uma guirlanda confeccionada pela auxiliar de limpeza, cujos itens para compor o enfeite também foram encontrados no lixo. 

_ Eu fiquei tão feliz de montar a guirlanda para minha nora, e o melhor que foi tudo com coisas que eu achei. E eu fiz já faz umas duas semanas _ conta, orgulhosa. 

A auxiliar de limpeza mora em uma casa humilde, sem luxo algum. Mas, nem por isso, economiza sorrisos. Silvia diz que gosta muito desta época e das casas enfeitadas. E explica por que a sua não recebeu a decoração completa neste ano. 

_ Antes, eu fazia mais coisas. Colocava luzinhas na frente da casa, mas, aí, fiquei sem luz, porque não consegui pagar. Mas eu gosto de Natal, porque é o nascimento de Jesus _ conclui.

5. TÍTULO TÍTULO TÍTULO TÍTULO

Na Rua das Rosas, no Bairro Patronato, uma casa chama a atenção de quem passa. E não é pela cor rosa da residência, que combina com o nome da rua, mas, sim, pela decoração natalina que praticamente toma conta de toda a porta de entrada da casa.  

Além dos festões de Natal cor de prata, na grade da porta impera, majestosa, uma guirlanda vermelha com um barbudo Papai Noel. Um adereço que ganhou um significado muito bonito para a dona da casa, a auxiliar de limpeza Silvia Barcelos Carvalho, 52 anos. Ela conta que retornava para casa há dois anos quando encontrou o enfeite em uma lata de lixo na Rua Tuiuti, no Centro.  

De acordo com ela, que tem 10 filhos, 29 netos, e dois bisnetos, o achado chegou para alegrar a vida dela e das crianças, que são o real motivo dos enfeites natalinos pela casa.  

_ Eu gosto muito de Natal, mas eu faço isso mais pelas crianças. Por isso, quando eu encontrei essa guirlanda no lixo, logo pensei em trazer para casa. O ano passado foi o primeiro ano que usei _ comenta Silvia, enquanto afaga o enfeite como se fosse algo muito precioso. E para ela, de fato, é.  

No mesmo terreno em que está a casa da dona Silvia, também está a casa do filho e da nora. Na porta da casa deles, há uma guirlanda confeccionada pela auxiliar de limpeza, cujos itens para compor o enfeite também foram encontrados no lixo.  

 _ Eu fiquei tão feliz de montar a guirlanda para minha nora, e o melhor que foi tudo com coisas que eu achei. E eu fiz já faz umas duas semanas _ conta, orgulhosa.  

A auxiliar de limpeza mora em uma casa humilde, sem luxo algum. Mas, nem por isso, economiza sorrisos. Silvia diz que gosta muito desta época e das casas enfeitadas. E explica por que a sua não recebeu a decoração completa neste ano.  

_ Antes, eu fazia mais coisas. Colocava luzinhas na frente da casa, mas, aí, fiquei sem luz, porque não consegui pagar. Mas eu gosto de Natal, porque é o nascimento de Jesus _ conclui.

TÍTULO VÍDEO HOMENAGEM


Depois de quatro anos, a manicure Ana Helena Fagundes Morais, 46 anos, voltará a passar o Natal ao lado da mãe, Maria Cedenir, que estava internada em uma clínica de repouso. A mãe é acamada, teve uma perna amputada em decorrência do diabetes e necessita de cuidados especiais.

_ Sou filha única e eu não tinha como deixar de trabalhar. Agora, moramos eu, ela, o gato, os cachorros. Meu filho tem a casa ali nos fundos. Neste ano, que foi difícil, também ganhei coisas boas. A melhor foi esse presente, que é trazer minha mãe de volta para perto de mim _ contou a manicure, sem conter as lágrimas.

GALERIA DE FOTOS

O evento, que tem como objetivo o ativismo e a resistência popular, foi marcado por várias cores e manifestações. Segundo a organização, mais de 3 mil participaram da 3ª Parada LGBT Alternativa na tarde de domingo, no Largo da Locomotiva, em Santa Maria.  As imagens, feitas de drone, são de Sergio Henrique Machado Pinto. 

3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
3ª Parada LGBT Alternativa de Santa Maria
Powered By Cincopa


A FACHADA EM 5 ANOS

O evento, que tem como objetivo o ativismo e a resistência popular, foi marcado por várias cores e manifestações. Segundo a organização, mais de 3 mil participaram da 3ª Parada LGBT Alternativa na tarde de domingo, no Largo da Locomotiva, em Santa Maria. As imagens, feitas de drone, são de Sergio Henrique Machado Pinto.


EXPEDIENTE

reportagem

edição

fotos

vídeos



fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas mensagem de texto)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249