contatos Assine
Pet

É possível criar cães de grande porte em apartamento?

23 Março 2018 13:00:00

O melhor ambiente para eles é o que oferece carinho

Luisa Neves


Foto: Gabriel Haesbaert (Diário)/Fernanda e Bruno organizarem a vida para ter os goldens Bob e Luna no apartamento
Luna são grandes, soltam muito pelo e adoram brincar. Todos os dias, eles correm e vivem com bastante liberdade. Mesmo morando em apartamento. Para a tutora Fernanda Righi, 32 anos, o segredo para o bem-estar dos cães é o envolvimento de todos os moradores da casa. Ela conta que eles não gostam de ficar sozinhos e não dispensam afeto e atenção.

- Mesmo morando em um apartamento espaçoso, não deixamos de passear com eles. Nos dias de semana, são caminhadas rápidas, mais curtinhas. Já aos finais de semana, soltamos os dois em lugares amplos, onde podem correr à vontade - diz Fernanda, que é empresária.

Fernanda afirma que ela, o marido, Bruno Rossato, 35 anos, e a filha, Maria Eduarda, 13, adequaram a rotina deles aos cuidados com Bob e Luna. Ela conta, ainda, que os cães têm acesso a todos os cômodos do apartamento e que não ficam confinados ou sozinhos.

- Para os goldens, a solidão é mais deprimente do que o pouco espaço. Percebo o quanto o comportamento deles fica alterado quando se sentem só. Por isso, nos revezamos de forma que todos possam ter tempo para eles - relata.

Segundo o adestrador de cães Sergio Loreto, o melhor lugar para o pet é aquele que tem conforto, segurança e muito carinho à disposição. Ele diz que, antes de adotar, o futuro tutor deve avaliar, além do espaço, se terá tempo disponível para passear, brincar e cuidar do animal:

- Nunca deixe o animal atirado ou muito tempo sozinho. Antes de adotar, avalie os hábitos e necessidades daquele que será seu melhor amigo - aconselha.
O adestrador diz que muitos tutores têm cães de porte grande em apartamento pequenos, os quais vivem em boas condições, tanto físicas quanto emocionais. Para o especialista, o que conta, nesta avaliação, são os hábitos e o temperamento do pet, além da disposição do tutor em sair com o animal, de preferência, três vezes ao dia.

Fernanda concorda com Loreto. Ela diz que não importa se a família (tutores e pets) mora em casa ou apartamento. Seja o ambiente pequeno ou grande, o essencial é que as pessoas estejam dispostas e comprometidas com o bem-estar do animal.


Os goldens Bob e Luna são exemplos de que é possível, sim, criar cães de grande porte em apartamentos/Foto: Gabriel Haesbaert (DIário)

O ESPAÇO IDEAL PARA O PET

Independentemente do espaço, o animal precisa estar seguro, bem alimentado e hidratado. Confira, abaixo, algumas dicas importantes para serem consideradas antes da adoção. 

  •  Avalie a sua casa - Aqui, a questão não é só o espaço. Verifique se a sua casa oferece segurança, se o animal pode subir escadas e se as janelas e portas dos ambientes altos têm proteção 
  • Conheça o animal - É importante saber que características físicas e comportamentais definem o seu bichinho: se é grandão e gosta de pular, se gosta de correr ou se prefere passar o dia dormindo 
  • Leve-o para passear - Se você mora em apartamento ou se passa muito tempo fora de casa, é necessário separar um tempo para passeios diários com o pet. Isso alivia o estresse do animal e o ajuda a gastar energia 
  • Não dispense o carinho - Cães gostam muito de contato físico. Em casa, no pátio ou nos passeios, esteja disposto a brincar, fazer caminhadas e dar atenção ao pet 
  • Deixe eles brincarem - Embora eles adorem a companhia do tutor, os pets precisam brincar com outros animais 
  • Atenção para os gatos - Os gatos não são tão dependentes de carinho, mas também precisam de atenção. Quem pretende adotar um felino deve instalar telas de proteção em 
  • casa ou no apartamento. Eles adoram dar suas saidinhas. 
  • Enriqueça o ambiente - Deixe brinquedos para o pet se entreter. Arranhadores, bolinhas, bichinhos de borracha os ajudam a se distrair, principalmente quando você está fora. Além 
  • disso, é bom deixar uma roupa do tutor na caminha ou perto dele. Assim, quando você estiver fora, ele não vai se sentir sozinho 
  • Disponha de um espaço com sol - Coloque os animais em locais onde eles possam passar um tempo no sol. Mas, nada de exagero. Não vale sair de casa e deixá-los em uma peça que pegue o sol por várias horas ou sem proteção 
  • Espaço para as necessidades - Seja em casa ou apartamento, o tutor que passa muito tempo fora de casa deve deixar caixa de areia, jornais, tapetinhos ou outros objetos que o animal use para fazer as necessidades 
  • Ele vai crescer - Não esqueça que filhotes crescem. Ao adotar, avalie se a sua casa condiz com o porte do animal e procure ambientá-lo desde cedo ao espaço de que ele irá dispor 
  • De mudança - O tutor que vai se mudar precisa procurar um local que se adeque ao pet, que é membro da família. O ideal é sempre levá- lo junto. Porém, se isso não for possível, procure um novo lar para o animal e certifique-se que ele vai ser amado e bem cuidado na sua ausência. O mesmo vale para viagens 

Fonte: Sérgio Loreto, adestrador de cães

fale com a redação

quem somos
leitor@diariosm.com.br
(55) 3213-7110
(55) 99136-2472
(WhatsApp)

redes sociais
facebook
instagram
twitter
youtube

 


para assinar
(55) 3220-1717
diariosm.com.br/assinaturas

central do assinante
(55) 3220-1818
(55) 99139-5223
(WhatsApp, apenas mensagem de texto)

para anunciar
(55) 3219-4243
(55) 3219-4249